Título

Zoocecídias

Partilhar

Nº downloads 15

Ver Online

Detalhes

Descrição

No vídeo “Zoocecídias” são apresentadas diversas zoocecídias resultantes da relação interespecífica de parasitismo entre vespas e carvalhos, descritos os benefícios para o parasita e os malefícios para o hospedeiro, e enunciados os principais usos tradicionais e etnobotânicos das zoocecídias. Incorporado no plano de aula encontra-se um protocolo laboratorial intitulado: Produção de tinta ferrogálica.

Da relação interespecífica de parasitismo entre diversas espécies de vespas (parasita) e carvalhos (hospedeiro) surgem zoocecídias, vulgo galhas, cuja morfologia está dependente da espécie de vespas e do órgão da planta onde estas depositam os ovos. A larva e a galha crescem simultaneamente, e, os túneis circulares (no vídeo vêem-se os orifícios à superfície das galhas) evidenciam que as vespas maduras emergiram. Na galha, o parasita recebe nutrientes e fica a salvo de predadores, de agentes patogénicos e de condições ambientais adversas. O desenvolvimento e a manutenção das galhas – nas folhas, caules, frutos e gomos – são acompanhados de alterações morfológicas e fisiológicas na planta, tais como o decréscimo da taxa fotossintética, a redução da eficiência da condutância estomática, a alteração da distribuição de metabolitos secundários e da variação da composição das emissões voláteis, esta última destinada a atrair parceiros e a deter inimigos naturais da espécie parasita. As galhas têm: elevado teor de taninos – compostos fenólicos – adstringentes; usos tradicionais como corante natural, por exemplo, de fios de carpetes, o que aumenta a sua qualidade e durabilidade, e para o fabrico de tinta ferrogálica; usos etnobotânicos como brinquedos e amuletos.

No vídeo, alude-se que, após o corte de uma galha, plenamente desenvolvida, em atividade, e exposição do seu interior ao ar, os compostos fenólicos reagem com o oxigénio – reação catalisada pela polifenoloxidase – originando benzoquinona e água, que por sua vez reagem entre si, espontaneamente, originando melanina – pigmento castanho-escuro.

Referências Askari, S. F., Azadi, A., Jahromi, B. N., Tansaz, M.; Nasiri, A. M., Mohagheghzadeh, A. Badr, P. (2020). A Comprehensive Review about Quercus infectoria G. Olivier Gall. Research Journal of Pharmacognosy, 7: 67-75. DOI: 10.22127/rjp.2019.184177.1494

Díaz Hidalgo, R.J., Córdoba, R., Nabais, P. et al. (2018). New insights into iron-gall inks through the use of historically accurate reconstructions. Herit Sci 6, 63. https://doi.org/10.1186/s40494-018-0228-8

Jiang, Y., Veromann-Jurgenson, L.-L., Ye, J. & Niinemets, U. (2017). Oak gall wasp infections of Quercus robur leaves lead to profound modifications in foliage photosynthetic and volatile emission characteristics. Plant, Cell and Environment, 41: 160-175. DOI: 10.1111/pce.13050

Sariozlu, Y., N., Kivanc, M. (2011). Gallnuts (Quercus infectoria Oliv. and Rhus chinensis Mill.) and their usage in health. In V. R. Preedy, R. R. Watson, V. B. Patel (Eds.), Nuts and Seeds in Health and Disease Prevention (1.ª ed., Pp. 505-511). Academic Press, ISBN 9780123756886. https://doi.org/10.1016/B978-0-12-375688-6.10060-X.

Objetivo de Aprendizagem

Explorar as dinâmicas de interação existentes entre os seres vivos; Identificar a relação interespecífica de parasitismo entre vespas e carvalhos; Compreender como a relação interespecífica de parasitismo entre vespas e carvalhos promoveu a coevolução das espécies envolvidas.

Recomendação

Para visualizar este recurso, poderá necessitar de ter instalado o VLC Media Player, cujo download poderá fazer através da nossa página de utilidades.

Categoria

Biologia - 3º Ciclo

Unidade

Sustentabilidade na Terra

Tema

Ecossistemas: Dinâmica de interação entre seres vivos; Fatores bióticos – as relações entre seres vivos.

Tipo de recurso

Vídeo

Interatividade

Informação adicional

Palavras-chave

Fatores bióticos, Relação interespecífica, Parasitismo, Zoocecídias, Vespas, Carvalhos, Coevolução, factores bióticos, fator, biótico

Nome do ficheiro

Recurso Zoocecídias.zip

Tamanho do ficheiro

23.82 MB

Comentários

Recursos relacionados