Título

Oxalis pes-caprae L.

Partilhar

Descrição

Erva que pode atingir até 50 cm de altura, coberta de pêlos, bolbosa com uma única raiz, de onde brota um multicaule. Bolbo, profundo, provido de bolbilhos ovoides. Folhas basais, tri-folioladas, de longos pecíolos; folíolos cordiformes, com pequenas pintas escuras. Inflorescências em umbelas terminais de 6 a 12 flores ou reduzidas a uma flor. Flores com 5 pétalas amarelas, levemente aderentes na base, hermafroditas, de simetria radial, pedunculadas, caducas, fechando-se ao fim do dia. Cálice com 5 sépalas livres. Androceu com 10 estames dispostos em dois verticilos de 5, filamentos unidos formando um tubo. O fruto é uma cápsula curta, ovoide, deiscente e polispérmica.

Família: OXALIDACEAE

Nome Vernáculo: Amendoim-bravo, Azeda, Azedinha, Azedinha-amarela, Boas noites, Erva-azeda-amarela, Erva-canária, Erva-mijona, Erva-pata, Erva-praga, Praga-má, Santas-noites, Sardinha-fresca, Trevilho, Trevinho, Trevo-azedo, Trevo-mau.

Ecologia: Erva vivaz, infestante, ocorrendo frequentemente em terrenos cultivados e incultos, bermas de caminhos e descampados.

Floração: Janeiro a Abril.

Estatuto: Invasora (originária da África do Sul), podendo ocorrer, de forma subespontânea, na região Mediterrânea e no oeste da Europa.

Observações: As plantas contêm ácido oxálico que lhe confere o sabor pungente. Devido a essa caraterística deverão ser consumidas moderadamente já que podem interferir com o metabolismo do cálcio ósseo. Tanto as folhas como as pétalas podem ser consumidas cruas ou cozinhadas.

Classificação

Oxalis pes-caprae

Localização

Polo 3 da UPorto

Data de Publicação

22 de Março de 2019

Nº de visualizações

111

Resolução

1300px X 889px

Formato

.jpeg

Tipo De Imagem

Fotografias

Licença de utilização Creative Commons CC BY-NC-SA 4.0

Imagens Relacionadas