Título

Disjunção Prismática ou Colunar em Basaltos (secção transversal)

Partilhar

Descrição

Secção transversal dum prisma hexagonal de basalto. Disjunção prismática em basaltos, no afloramento de Portela de Teira, na orla Meso-Cenozóica ocidental portuguesa. São rochas vulcânicas alcalinas (a plagioclase presente é sobretudo labradorite), com idades aproximadas entre os 130 Ma e os 150 Ma, cuja formação ocorreu em consequência do regime distensivo que afectou a Margem Ocidental Ibérica, e que levou à formação da Bacia Lusitânica, durante os processos de rifting relacionados com a abertura do Atlântico Norte. As colunas devem-se a ao arrefecimento da lava, que se contrai formando fraturas perpendiculares à superfície de arrefecimento.

Classificação

Localização

Portela de Teira, Rio Maior

Data de Publicação

8 de Junho de 2020

Data de Realização

2020-03-08

Nº de visualizações

129

Resolução

4608px X 3456px

Formato

.JPG

Tipo De Imagem

Fotografias

Licença de utilização Creative Commons CC BY-NC-SA 4.0

Imagens Relacionadas